sobre a sucintez dos não acadêmicos

Nada contra os acadêmicos que escrevem seis livros, vinte ou cem. Nada contra longos textos de mais de 20 páginas discutindo a minúcia do conceito X num autor tal que não sei o quê. Há um espaço para tudo isso. Inteligência, reflexão sobre tradição são importantes. De todo o modo, não é o que precisamos. Não é o que funcionará na nossa época. Precisamos do ‘wit’, rápido e certeiro.

A minha piada favorita ano passado sobre o assunto era pedir para qualquer coisa longa demais uma versão para empreendedores...

  Por Trás do Franco Atirador